Fernando de Noronha – Dicas Gerais

Sobre o Arquipélago


Fernando de Noronha é um arquipélago situado no Oceano Atlântico, pertencente ao Estado de Pernambuco – Brasil, localizado a cerca de 545 km da capital – Recife. É formado por vinte e uma ilhas e ilhotas, sendo a maior delas, também denominada “Fernando de Noronha”, a única atualmente habitada e sobre a qual vamos falar hoje. As demais ilhas encontram-se contidas na área do Parque Nacional Marinho e só podem ser visitadas com licença oficial do IBAMA. Para maiores informações sobre elas, vocês podem acessar o site oficial do governo de Pernambuco, nesse link aqui.

SONY DSC
Morro Dois Irmãos

Sobre os Voos


Certamente você já ouviu falar que em Fernando de Noronha tudo custa caro, né? E, infelizmente, isso é verdade, começando pelas passagens aéreas, o que é compreensível pelo fato de tratar-se de um ilha totalmente isolada e de difícil acesso, onde tudo chega somente através de embarcação e, por isso, possui valor muito elevado, inclusive para os próprios moradores.

A dica é que você fique de olho nas promoções, através de sites como Decolar.com e Melhores Destinos, pois elas são raras, mas acontecem, principalmente em época de baixa temporada! Não deixe também de criar alertas de voos para que você seja notificado quando o valor da passagem abaixar. Isso é muito importante e ajuda sempre a economizar nessa parte.

Atualmente existem três voos diários para a ilha: dois saindo de Recife – PE e um de Natal – RN, ambos operados pelas companhias aéreas Gol e Azul. Apesar de Recife possuir o maior número de voos diários, eu optei por fazer conexão em Natal, porque de lá saía o primeiro voo do dia e assim pudemos aproveitar ainda o dia da chegada, que não foi totalmente perdido.

DICA 1: Voando Azul, no trecho de ida, escolha um assento do lado esquerdo da aeronave (olhando para a cabine do piloto), e logo na chegada você vai se deparar com a vista mais linda de Noronha. Garanto que é daquelas que faz o coração bater mais forte e a viagem começar com o pé direito!

Morro dois irmaos
Morro Dois Irmãos

DICA 2: Voando Gol, no trecho de volta, também opte por um assento do lado esquerdo da aeronave, e você fará um dos sobrevoos mais incríveis da sua vida. Esse vídeo mostra um pouquinho do que estou falando (spoiler alert :P).

Sobre as Taxas


Atualmente existem duas taxas a serem pagas pelos visitantes em Fernando de Noronha. A primeira é a Taxa de Preservação Ambiental, que deve ser paga assim que você desembarca no aeroporto, e é cobrada de acordo com os dias de permanência na ilha. Atualmente, o valor da diária é de R$ 68,74 (sessenta e oito reais e setenta e quatro centavos).

A dica é que você preencha o formulário e pague essa taxa antecipadamente pela internet (pelo menos uma semana antes), nesse link aqui, porque há guichês especiais no desembarque para quem já efetuou o pagamento, e assim, você vai evitar perder tempo nas filas regulares. Cada segundinho em Noronha é precioso, não é mesmo? 😉

A segunda taxa é a do Parque Nacional Marinho, que atualmente custa R$ 99,00 (noventa e nove reais) para brasileiros e R$ 198,00 (cento e noventa e oito reais) para estrangeiros, e é válida por 10 dias. Essa taxa na verdade é um ingresso para as praias que se encontram dentro no Parque Nacional Marinho (Baía dos Porcos, Sancho, Praia do Leão, Baía do Sueste e Atalaia), que são as principais, e na minha opinião, as melhores. Você pode pagar essa taxa tanto pela internet, nesse link aqui, quanto na ilha, em 3 (três) locais distintos: no Centro de Visitantes da pracinha do Projeto Tamar, na Praça Flamboyant e no PIC Golfinho-Sancho.

No caso dessa taxa, mesmo pagando pela internet, você terá que se dirigir a um desses 3 (três) locais para tirar uma foto e retirar a sua carteirinha de visitante, então, nesse caso, não faz muita diferença pagar antecipadamente ou somente lá na ilha. A dica é que você faça/retire sua carteirinha já no seu primeiro dia na ilha, pois no segundo você certamente passará por alguma dessas praias e precisará apresentar sua carteirinha.

Quando Ir


Fernando de Noronha tem uma temperatura média de 28 graus o ano todo, mas devido ao fato do arquipélago situar-se a apenas 3 graus ao sul da linha do equador, o sol lá é muito forte e a sensação térmica pode ser bem maior.

A ilha possui apenas duas estações no ano: a seca, que vai de setembro à março, e a chuvosa, que vai de abril à agosto. Caso você esteja planejando sua viagem para algum desses meses de chuva, não se preocupe, pois pela experiência que tive, e pelo que conversei com alguns locais, as chuvas no local acontecem de forma esporádica e são rápidas, com sol intenso logo em seguida. Mas, para não contar com a sorte e o acaso, eu recomendo que nesse período você não faça uma viagem curta, pois quanto mais dias você ficar na ilha, mais chances você terá de pegar dias de sol.

Por ter escolhido Fernando de Noronha como destino de comemoração do meu primeiro ano de casada, viajamos para a ilha no mês de maio, e, durante o período em que estivemos lá, tivemos a sorte de pegar dias bastante ensolarados, com apenas duas pancadas de chuvas rápidas à tarde, intercaladas com sol.

SONY DSC
Forte dos Remédios

Também é válido levar em consideração as condições do mar quando for decidir em qual mês viajar. De abril à setembro, o Mar de Dentro (litoral voltado para o Brasil) possui melhores condições de mergulho e você encontrará o mar calmo e com boa visibilidade.

Quando Tempo Ficar


Fernando de Noronha não é um destino barato e de fácil acesso, e provavelmente, é um lugar que não teremos a oportunidade de voltar muitas vezes na vida. Então, na minha opinião, o ideal é que você fique pelo menos 4 dias inteiros na ilha, para que dê tempo de conhecer as principais praias e fazer os principais passeios. Menos que isso você não conseguirá ver o essencial e certamente se arrependerá de não ter ficado mais alguns diazinhos.

Caso você tenha maior disponibilidade, e curta conhecer o destino com calma, desbravando cada cantinho, eu indicaria acrescentar mais uns 2 dias, e no máximo, uma semana. Mais do que isso, ao meu ver, não é necessário.

Como eu e meu marido não somos do tipo aventureiros, e não curtimos encarar todas aquelas trilhas, achamos que 4 dias inteiros iriam nos satisfazer, mas acabamos indo embora com gostinho de quero mais, e se tivéssemos disponibilidade, certamente acrescentaríamos pelos menos mais um dia na ilha para que pudéssemos repetir alguma praia ou curtir alguma outra coisa que a ilha tem a oferecer.

IMG_20160522_161436407_HDR
Forte dos Remédios

Como se Locomover


Fernando de Noronha não é uma ilha extensa, mas também não dá para circular somente a pé, a não ser que você tenha muuuita disposição, principalmente sob o sol escaldante de lá.

A ilha possui uma rodovia federal (BR-363), a segunda menor do Brasil, com apenas 7km de extensão. Essa rodovida e toda asfaltada, e corta a ilha de norte a sul, ligando o Porto de Santo Antônio a Baía do Sueste, passando por todas as praias e mirantes. Você pode optar por se locomover em um microonibus, que, a cada 30 minutos, faz todo o percurso da BR, e custa cerca de R$ 3,00 (três reais). Mas há também a opção de circular de táxis ou buggys.

Como a maioria dos nossos dias estavam preenchidos com passeios, e as agências nos buscavam e levavam de volta ao hotel, nós optamos por não alugar o buggy e circular de táxi nos dias livres. Mas não achamos que essa foi a melhor opção e acabamos nos arrependendo depois.

Primeiro porque os táxis na ilha não utilizam taxímetro, o que faz com que o preço da corrida seja tabelado, variando de R$ 15,00 (quinze reais) a R$ 35,00 (trinta e cinco reais) por trecho, dependendo do destino, e facilmente no final do dia você acabará gastando quase o valor de uma diária do buggy. Segundo, porque o buggy nos proporcionaria maior mobilidade e liberdade, já que tínhamos que deixar agendado um horário de volta prévio com o taxista, em razão da falta de sinal telefônico, o que deixou o nosso roteiro um pouco engessado.

Bugres
Buggys estacionados na entrada do PIC Golfinhos-Sancho

Então, a minha dica é: caso seu orçamento permita e, claro, você saiba dirigir, alugue o buggy para que não tenha que perder tempo aguardando o ônibus ou fique na dependência do táxi, e assim, com liberdade total, você aproveitará cada minuto da sua viagem.

O valor das diárias do buggy variam de R$ 150,00 (cento e cinquenta reais) a R$ 200,00 (duzentos reais), dependendo da agência e da temporada, e a gasolina, que é a mais cara do Brasil, custa R$ 5,99 (cinco reais e noventa e nove centavos) o litro, mas ainda assim, com todo esse custo, na minha opinião, ele é uma das melhores formas de locomoção na ilha pela liberdade que proporciona.

SONY DSC
Valor da gasolina no único posto da ilha

Bom pessoal, esse foi o primeiro post sobre Fernando de Noronha, com as principais dicas para você começar a planejar uma viagem a ilha. Nos próximos posts, falaremos sobre onde ficar na ilha, os principais passeios e os restaurantes imperdíveis.

Espero que tenham gostado e até a próxima! :*)

Um comentário em “Fernando de Noronha – Dicas Gerais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s